Posts Marcados Com: Borges Oral e Sete Noites

Dicas de leitura da equipe BP

Estreamos hoje no blog uma nova seção, na qual integrantes da BP darão dicas de leituras. Confiram aí as primeiras:

Fred Linardi – Borges Oral e Sete Noites, de Jorge Luis Borges

Na obra, o leitor entra em contato com o universo intelectual do escritor argentino por meio de aulas proferidas em duas circunstâncias como conferencista em universidades. Versátil para falar sobre os diversos temas a que propõe, Borges se mostra um leitor que estuda os livros de sua biblioteca de forma diferente de um rancoroso crítico. Suas aulas – divididas em assunto como “o livro”, “a imortalidade”, “o conto policial”, “o budismo”, “a poesia”, “o tempo”, “a divina comédia” e “a cegueira”, dentre outros – são apoiadas na relação estreita com sua memória e em citações de filósofos e escritores que ajudaram o pensamento humano a refletir sobre esses conceitos. O leitor deste livro tem o privilégio de se sentar diante do mestre Borges que, já tomado pela cegueira, usa sua oralidade para que a audiência passe a enxergar tão bem quanto ele.

Regina Magalhães – Sagrada Família, do Zuenir Ventura

Zuenir fez todos rirem na FLIP ao dizer algo do genêro: “adoro família unida, mas tenho restrições à família reunida”. Há verdade maior que essa? Sagrada Família fala da perda da inocência de um garoto de nove anos, numa cidade do interior do Rio, durante a década de 40. Aparentemente, qualquer semelhança com a realidade não é mera coincidência. O livro traz personagens e cenários que a gente jura conhecer. O final traz o contrate da doçura e acidez da vida. Sou fã do trabalho do Zuenir e do seu olhar vibrante.

Rodrigo Casarin – O filho da mãe, de Bernanrdo Carvalho

O filho da mãe é uma das obras que integram a coleção Amores Expressos, da Companhia das Letras, que enviou 17 escritores brasileiros para diferentes países para que escrevessem histórias de amor. Bernardo Carvalho foi para a Rússia, São Petersburgo mais precisamente, e por lá ficou durante 30 dias.

O que permeia todo o livro é a guerra da Tchetchênia. As luzes estão voltadas para as pessoas que sofrem com ela – mais precisamente na relação entre as mães, os filhos e as mudanças que o conflito pode causar na vida de cada um. O livro traz histórias mais focadas nas crias – mas intensificadas pelos dramas das criadoras – e que parecem independentes, mas acabam se entrelaçando com o decorrer da trama.

Categorias: Dicas de leitura | Tags: , , , , , | Deixe um comentário

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.