Ryszard Kapuscinski

“Como o andamento e a forma das saudações têm extremo significado para o futuro do relacionamento entre as pessoas, aqui [em Kumasi, cidade de Gana] se dá muita importância à maneira como eles se processam. O mais importante é demonstrar, de saída, logo no primeiro momento, sincera alegria e enorme cordialidade. Começamos por estender a mão. Mas não de modo formal, moderado, superficial, e sim exatamente ao contrário, como se fôssemos aplicar no outro um golpe enérgico, como se, em vez de lhe apertar calmamente a mão, quiséssemos arrancar-lhe o braço. Se ele mantém a mãe aberta e no mesmo lugar, é que, como conhecedor das regras de saudação, também está tomado pelo ímpeto de aplicar o mesmo golpe e arremessar a mão em direção à nossa, com toda força. As extremidades do corpo de cada um, carregadas de enorme energia, encontram-se no meio do caminho e, chocando-se com grande impacto, reduzem a zero as forças contrárias. Ao mesmo tempo que as mão se projetam velozmente para se encontrar, soltamos a primeira de uma série de gargalhadas. Significa que estamos felizes por termos nos encontrado e com boa disposição um para o outro.

Em seguida, vem uma série de perguntas e respostas casuais: ‘Como você está?’, ‘A saúde está boa?’, ‘Como vai a família? Todos com saúde? E o vovô? E a vovó? E o titio? E a titia?’ etc. etc., pois as famílias aqui são grandes e ramificadas. As boas maneiras pedem que cada resposta favorável seja acompanhada de uma prazenteira risada, que deverá provocar uma semelhante, ou então uma homérica gargalhada em quem fez a pergunta.

Freqüentemente, podemos ver duas ou mais pessoas paradas na rua contorcendo-se em risos. Não significa que estejam contando piadas. Estão apenas se cumprimentando. Quando os risos cessam, significa que a cerimônia de cumprimentos terminou e que se pode, então entrar no mérito da conversa, ou que o ritual foi interrompido para que os participantes possam dar um merecido descanso às cordas vocais”.

Trecho de Ébano – minha vida na África, do polonês Ryszard Kapuscinski.

Categorias: Fonte de inspiração | Tags: , , | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: